Voltar
  • Home
  • blog
  • Limpar o nariz do bebê com seringa. Pode?

Limpar o nariz do bebê com seringa. Pode?

27 de setembro de 2017

Limpar o nariz do bebê com seringa. Pode?

limpar nariz do bebê com seringa

*Imagem meramente ilustrativa. A pessoa da imagem não é um paciente do Hospital e Maternidade Santa Joana.

Uma série de vídeos publicados por mães tem viralizado nas redes sociais. Eles mostram a limpeza do nariz dos bebês fazendo uso de seringas. Mas será que isso é recomendado pelos médicos? A prática oferece algum risco para a criança?

Quem responde é o otorrinolaringologista do Hospital e Maternidade Santa Joana Dr. Khalil Fouad Hanna.

“O tratamento com lavagens nasais é eficaz para a rinite do bebê, pois a lavagem nasal retira os vírus e elimina a secreção nasal, ocasionando menor reatividade nasal”, explica o especialista.

O nariz entupido pode ocasionar alguns problemas aos bebês, diz o médico. “O aumento da viscosidade do muco pode obstruir o óstio dos seios da face, podendo propiciar colonização bacteriana”.

Nestes casos, atenção com o líquido utilizado na lavagem. “Deve-se utilizar solução fisiológica para a limpeza do nariz, não sendo indicado o uso de outras substâncias nesta idade pelo risco de efeitos colaterais”, adverte.

“O indicado como fluidificante e descongestionante nasal é o uso de solução fisiológica (0.9%) que age fluidificando a secreção nasal facilitando sua eliminação”, recomenda Dr. Khalil. “Hoje temos uma grande quantidade de sprays no mercado, que apresentam um aplicador adequado para o pequeno nariz do bebê”.

E qual é a forma correta de se fazer a lavagem nasal? O otorrinolaringologista explica. “O bebê é colocado em posição vertical e é instilado o spray voltado para a parte lateral do nariz.” Deve-se repetir a ação na outra narina, podendo realizar a lavagem de 2 a 3 vezes ao dia.

Mas e o uso da seringa? “O uso de seringa com solução fisiológica em bebês não é recomendado”, diz o médico, “pois uma quantidade grande da solução, com o bebê chorando, pode ir para o pulmão ocasionando uma aspiração”.

Outro risco, alerta Dr. Khalil, é o líquido ir para o ouvido médio, pois “a tuba auditiva, que é a comunicação do nariz com o ouvido médio, é mais alargada e horizontalizada no bebê”.

Resp. Técnico: Dr. Eduardo Rahme Amaro. CRM: 31624

Categorias

Agendar visitaPrecisa agendar uma visita ou uma consulta?Quero agendar uma visita

© 2020 Santa Joana. Todos os direitos reservados.

Rua do Paraíso, 432 | CEP 04103-000 | Paraíso | São Paulo | SP | 11 5080 6000

Responsável Técnico: Dr. Eduardo Rahme Amaro | CRM 31624